• Sandra Carvalho

Quem são as 6 mulheres entre os 100 maiores bilionários da tecnologia

Três das seis bilionárias são chinesas, duas são americanas e uma inglesa.


Meg Whitman: uma das seis bilionárias | Foto: cc Max Morse/Wikimedia Commons

Há seis mulheres no ranking da Forbes das 100 pessoas mais ricas da tecnologia, todas bilionárias, com fortuna de pelo menos 2,6 bilhões de dólares.


O que elas fizeram para entrar nessa lista?


A mais bem colocada, em 26º lugar, é a empreendedora chinesa Zhou Qunfei, de 47 anos. Sua fortuna vem da Lens Technology, fabricante de telas para celulares, tablets e notebooks.


Zhou Qunfei começou a empreender com vidros de relógio em Shenzhen, trabalhando com parentes. Hoje é a empresária mais bem-sucedida da China, com uma fortuna calculada pela Forbes em 10 bilhões de dólares.


Ela nasceu na região central da China, ajudou a família a criar porcos e patos para comer e ganhar um dinheiro extra e trabalhou duro em fábricas como operária. Atualmente vive com o marido em Hong Kong.


Até hoje, com seu tailleur de executiva, pode substituir os funcionários que operam as máquinas da Lens Technology com perfeito domínio das operações, segundo o New York Times.


A segunda mulher a entrar no ranking da Forbes é outra chinesa, Lam Wai Ying, na 47ª posição. Ela tem 49% da Biel Crystal Manufactory, que faz telas de toque para a Apple e peças diversas para relógios, câmeras e celulares. O marido de Lam Wai Yinh tem 51% da empresa.


Os dois enriqueceram com o sucesso do iPhone. Lam Wai Ying é a chairwoman da Biel Crystal. Sua fortuna é avaliada pela Forbes em 5, 2 bilhões de dólares.


Apostas online, um achado


A inglesa Denise Coates, 49 anos, é a terceira mulher mais bem posicionada na lista dos mais ricos de tecnologia da Forbes, em 69º lugar. Filha de um dono de lojas de apostas, ela seguiu no ramo, mas online.


Denise fundou a Bet365 em 2001, depois de estudar Econometria na Universidade de Sheffield. A empresa, que Denise comanda até hoje, movimentou 45 bilhões em apostas online em 2016. A fortuna de Denise é avaliada pela Forbes em 3.6 bilhões de dólares.


A matemática americana Judy Faulkner, 74 anos, a quarta mulher a aparecer no ranking da Forbes, tirou a sorte grande ao criar uma empresa de software para registro de dados médicos num apartamento em Wisconsin, nos anos 70.


CEO da Epic Systems, Judy Faulkner ainda vive em Madison, Wisconsin, com uma fortuna avaliada pela Forbes em 3,4 bilhões de dólares. A Epic provê os dados médicos de 200 milhões de pessoas, segundo estimativa da Bloomberg.


O rosto mais conhecido de todos entre as mulheres mais ricas em tecnologia é o de Meg Whitman, CEO da HP, a quinta mais rica no grupo das mulheres.


HP e Partido Republicano


A gestão da Meg Whitman na HP não chama a atenção por grandes inovações, mas no eBay ela arrebentou. Pegou a empresa com 5,7 milhões em vendas por ano e, 10 anos depois, entregou com 8 bilhões de faturamento.


Republicana da Califórnia, política influente, ela fez o que pôde para Donald Trump perder as eleições. Com uma fortuna avaliada pela Forbes em 2,8 bilhões de dólares, ela fica em 89º lugar no ranking geral dos bilionários da tecnologia.


Quase no fim do ranking da Forbes, surge mais uma chinesa, Wang Laichun, a sexta mulher mais rica em tecnologia.

Aos 50 anos, ela é a chairwoman da Luxshare, fabricante de cabos e conectores eletrônicos para celulares, notebooks, TVs, carros e aparelhos médicos.


Laichun trabalhou 10 anos na empresa chinesa Foxconn e comprou a Luxshare com o irmão, Laisheng, em 2004. Hoje ele é o vice-chairman da empresa. A fortuna de Laichun foi avaliada pela Forbes em 2,6 bilhões de dólares, e a coloca na 93ª posição no ranking dos 100 mais ricos da tecnologia.


Uma sétima mulher está incluída no ranking dos 100 mais ricos, mas não sozinha, como todas essas seis. Laura Dangermond aparece acompanhando o marido, Jack, na 68ª posição. Os dois são donos da Esri, empresa de criação de mapas digitais, e dividem uma fortuna de 3,7 bilhões de dólares, segundo a Forbes.


#Bilionários #DesigualdadedeGênero #Forbes #Empresários #Mulheres #Rankings