• Sandra Carvalho

Quer correr sem lesões? Trate dos pés

Dá para proteger os pés com exercícios, andando descalço e usando tênis bem leves.


Escultura de homem correndo
Corrida: risco de lesões é de 79% | Foto: cc0 Jasmin Sessler/Unsplash

Os pés são uma obra de arte, com 25 músculos próprios, outros 10 que se ligam à perna, 33 articulações e 108 ligamentos. Oprimidos dentro dos #sapatos e #tênis superprotetores atuais, podem atrofiar. É preciso cuidar deles para evitar lesões nas corridas.


Esta é a tese de pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP. Eles propõem que as pessoas que correm (e as sedentárias também) protejam os #pés através de exercícios, andando descalças e usando tênis moleca, desses bem leves.


As três coisas podem ser feitas com custo zero ou pelo menos com boa economia. Há um app gratuito para celular que permite fazer os exercícios em casa. Para andar descalço basta boa vontade. E os tênis molecas são bem baratos, comparados com os caríssimos tênis de #corrida.


Sapatos e tênis rígidos, com amortecedores, dizem os cientistas da USP, fazem mal para a saúde dos pés.


Esse argumento vem sendo levantado cada vez mais nos últimos anos, embora até agora esteja longe do consenso. (As vendas de tênis esportivos chegaram a 71 bilhões de dólares em 2020 no mundo, e não param de crescer.)


"As estruturas todas dos pés acabam se atrofiando com o uso reiterado desse tipo de calçado", observou Isabel Sacco, do Laboratório de Biomecânica do Movimento e Postura Humana (Labimph) da USP, uma das autoras do estudo.


"É como se alguém passasse a utilizar diariamente um colar cervical para prevenir o pescoço de dores devido ao uso contínuo de telas. Em pouco tempo, a musculatura do pescoço perderia massa, força e funcionalidade”, ela complementou.


O estudo foi publicado no periódico The American Journal of Sports Medicine. De acordo com os testes feitos com 120 corredores amadores durante a pesquisa, treinamento simples para ganho de força e funcionalidade para os pés reduz 2,4 vezes o risco de lesões.


A diminuição de 2,4 vezes é relativa à comparação com corredores que, em vez de exercícios para os pés, optam pelo #alongamento. Exames de ressonância magnética comprovaram o aumento da musculatura dos pés com os exercícios, conforme o estudo.


Imagem do SoPeD
Imagem do SoPeD para Android

O risco de lesões entre pessoas que correm é bastante alto: 79% no prazo de um ano. "A solução não é parar

de correr, mas adotar medidas preventivas que reduzam ou ao menos retardem o risco de lesão", argumentou Sacco.


O Labimph tem um app de celular que permite fazer os exercícios necessários em casa, o SoPeD. Ele é desenvolvido para pés de diabéticos, mas pode ser usado por qualquer pessoa.


Com interface confusa e voz robótica, o app pede vários dados pessoais para o uso, mas os exercícios estão lá, fáceis de entender e exibidos com vídeos.


Além dos exercícios, os pesquisadores indicam que as pessoas andem descalças o máximo possível. Quando isso não é possível, que usem sapatos e tênis muito leves, como as molecas.


Em outro estudo dos pesquisadores do Labimph, feito com pessoas com osteoartrite que sofriam dores nos joelhos, o uso de molecas permitiu melhora de 62%.


Veja mais: A natação pode dar um upgrade no seu cérebro