• Sandra Carvalho

Quer ver um cachorro feliz? Evite as broncas

Cientistas da Universidade do Porto testaram e reprovaram métodos punitivos com os cães.


Olhar apreensivo: o stress dos cães pode ser medido | cc0 Cedric Clooth/Pixabay

Há um bom tempo se discute se é melhor treinar os cachorros reforçando quando fazem a coisa certa com recompensas, de uma maneira positiva, ou com base na punição, quando eles fazem algo errado.


Em geral, reconhece-se que o treinamento aversivo, que pune os cães, é eficiente para produzir cachorros disciplinados. O que se questiona, normalmente, é o sofrimento dos animais treinados com esse método.


Professores da Universidade do Porto, em Portugal (U.Porto), estudaram as duas abordagens de treinamento para cães de companhia a curto e a longo prazo. Eles recrutaram 92 cães de escolas treinamento dos dois diferentes estilos.


Os cachorros treinados com o método aversivo mostraram comportamentos mais relacionados a stress, passaram mais tempo tensos e ficaram mais ofegantes durante as sessões de treinamento. Além disso, eles bocejaram e gemeram muito mais que os outros.


Mais: eles exibiram na saliva concentrações mais altas de cortisol, o hormônio do stress, depois dos treinos, e tiveram uma atitude mais pessimista, mais desanimada, ao desempenhar tarefas cognitivas em que a recompensa era incerta.


Segundo os pesquisadores portugueses, esses achados do estudo indicam que o método aversivo compromete o bem estar dos cães de companhia tanto no curto quanto no longo prazo.


Quanto mais frequentes os estímulos punitivos, mais o bem estar dos cachorros fica comprometido, de acordo com os cientistas. O estudo foi publicado no bioRxiv.


#Cachorros #Cortisol #Stress #Treinamento #UPorto