• Sandra Carvalho

Roupas sintéticas viraram um problemão na terra e no mar

O problema é a liberação das microfibras sintéticas durante a lavagem das roupas.


Lavaroupas
O momento mais poluidor das roupas sintéticas: as lavagens | Foto: Wix

Sabe-se há tempos que as minúsculas microfibras de poliéster e nylon liberadas durante as lavagens de roupas sintéticas poluem muito as águas dos rios e dos oceanos. Infelizmente, os estragos causados por essas fibras não param aí.


Cientistas da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara (UCSB) demonstraram num novo estudo que essas fibras das roupas sintéticas emporcalham ainda mais ambientes em terra.


Eles calculam de 176.500 toneladas métricas de microfibras sintéticas originadas da lavagem de roupas são jogadas anualmente em áreas terrestres em todo o globo. É uma quantidade maior do que a que vai parar nos rios e oceanos, estimada em 167 mil toneladas métricas.


Atualmente 14% de todo o plástico consumido no mundo são usados para produzir fibras sintéticas, sobretudo para roupas. O apelo da fast fashion, roupas cada vez mais baratas, maior disseminação das lavadoras - tudo se combina para impulsionar essa tendência.


"Se você olha para os números você vê um enorme crescimento da produção de roupas sintéticas e, como resultado, uma maior poluição das microfibras sintéticas", observou o Roland Geyer, professor de ecologia industrial da UCSB, um dos autores do estudo.


As microfibras, que são partículas de menos de 5 milímetros, muitas das quais praticamente invisíveis, são geradas ao longo de todo o ciclo de vida da fibra, mas especialmente durante as lavagens.


Quando a água usada de uma cidade passa por uma estação de tratamento, as microfibras sintéticas podem ser retidas junto com o material biosólido, e em seguida encaminhadas para plantações, como fertilizante, ou para aterros sanitários.


Os pesquisadores estimam que 5,6 milhões de toneladas métricas de microfibras sintéticas foram liberadas nas lavagens de roupas entre 1950, quando o uso de fibras sintéticas se popularizou, e 2016. Metade nos últimos 10 anos do período.


Essas emissões estão crescendo 12,9% ao ano. Como resolver? "É improvável que a remoção em larga escala de microfibras do meio ambiente seja tecnicamente possível ou economicamente viável", afirmou Jenna Gavigan, principal autora do estudo. "O foco tem de ser na prevenção das emissões."


A pesquisa foi publicada no jornal PLOS ONE.


Veja mais: Lego pode durar até 1.300 anos no oceano


#Roupas #PoluiçãodaÁgua #UCSB #FastFashion