• Sandra Carvalho

São Paulo tem 1.522 esquinas mais perigosas

As regiões de maior risco no centro da cidade foram identificadas por inteligência artificial.


Centrão de São Paulo: esquadrinhado com inteligência artificial | Foto: cc0 Sergio Souza /Unsplash

Onde acontecem mais assaltos a pedestres em São Paulo? Segundo dados de inteligência artificial, em 1.535 esquinas do centro da cidade. Essas esquinas concentram quase a metade dos crimes na região.


Pesquisadores ligados ao Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (Cemeai) analisaram 20 mil esquinas da área central de São Paulo cruzando dados de crimes com as diferentes regiões da cidade.


Eles usaram dados sobre crimes do Núcleo de Estudos da Violência da USP (NEV) e, com inteligência artificial, checaram onde eles mais ocorrem. Verificaram também qual a infraestrutura da cidade que facilitava essa ocorrência.


A ideia é predizer as regiões da cidade com maior probabilidade de crimes, e permitir que seja feito algum tipo de prevenção. No caso das esquinas do centro, os pesquisadores estimam que haja 1.522 com maior risco de assalto a pedestres.


A primeira ferramenta desenvolvida pelos cientistas foi a CrimAnalyzer. Com ela, eles estudaram o crime nas áreas das escolas de São Paulo e sua relação com a infraestrutura urbana local.


Constataram que os crimes como roubo de carros e assalto a pedestres aconteciam mais nas regiões prósperas da cidade, com muitos pontos de ônibus, principalmente à tarde.


"Existe uma forte correlação entre pontos de ônibus e crimes no entorno dessas escolas", observou o matemático Luis Gustavo Nonato, professor da USP e responsável pelo projeto do Cemeai, à agência Fapesp.


Uma segunda ferramenta desenvolvida pelos pesquisadores foi a Mirante, que dá acesso a dados georreferenciados sobre crime em São Paulo. Com ela, é possível associar mapas das ruas e padrões de criminalidade ao longo do tempo.


Com a Mirante, viu-se, por exemplo, que uma simples mudança do lado de estacionamento de uma rua, dando acesso mais fácil às marginais, pode ser responsável por uma maior criminalidade em determinada região.


Os pesquisadores registraram também aumento de crime quando regiões bem cuidadas são abandonadas e diminuição de crime com maior movimentação de pessoas, como a motivada pela instalação de uma farmácia.


Veja mais: Os drones deixam de ser brinquedo


#Cidades #CidadesBrasileiras #Crimes #Escolas #IA #Ônibus #SãoPaulo #USP