• Sandra Carvalho

Sabe por que o cachorro é o seu melhor amigo? Genes

Os cachorros são extremamente motivados a procurar contato social.


Cachorro: comportamento hipersocial, que facilita muito a aproximação   |  Foto: cc0 Yingchou Han/Unsplash

Desde que os primeiros cães foram domesticados, 15.000 anos atrás, a humanidade se pergunta como eles podem ser companhias tão adoráveis.


Agora cientistas americanas dizem que o segredo dessa hipersociabilidade está nos genes.


Monique Udell, da Universidade Estadual de Oregon (OSU), especializada em comportamento animal, fez uma dupla com a geneticista Bridget vonHoldt, da Universidade Princeton, de New Jersey. As duas foram a fundo no assunto.


Elas compararam cachorros com lobos cativos, criados por pessoas de um instituto de pesquisa e Indiana. Seu estudo foi publicado ontem no jornal Science Advances.


"Antes se pensava que durante a domesticação os cachorros evoluíram com uma forma avançada de conhecimento social que os lobos não tinham", observou Monique, num comunicado da Universidade Estadual de Oregon.


"As novas evidências sugerem que os cachorros têm uma condição genética que leva a uma motivação extremada para procurar contato social", completou.


Marcadores genéticos


A equipe de geneticistas de Bridgett vonHoldt em Princeton descobriu que os cachorros têm os mesmos marcadores genéticos encontrados em pessoas com a síndrome Williams-Beuren.


A síndrome é um distúrbio que causa vários problemas físicos, dos dentes ao coração, e prejudica o desenvolvimento intelectual de suas vítimas. Mas, em contrapartida, gera um comportamento hipersocial.


Num dos testes, cachorros e lobos foram desafiados a abrir uma caixa com uma salsicha dentro em dois minutos.


Os cachorros tendiam a ficar olhando para a pessoa presente em vez de focar na caixa. Os lobos, ao contrário, persistiam na tarefa, e não ligavam se havia uma pessoa presente.


Segundo Monique, as pesquisas anteriores mostraram que tanto cachorros quanto lobos podem ter performance similar em tarefas de conhecimento social.


"A diferença real parece ser o olhar persistente dos cachorros nas pessoas e o desejo de procurar proximidade prolongada com elas", afirmou.


Um vídeo com os testes pode ser visto no site da ScienceMag.


#Cachorros #Genes #Genética #OSU #Princeton