• Sandra Carvalho

Se você sabe que o vinho é caro, acha que ele tem gosto melhor

É o efeito placebo do marketing aplicado a bebidas.


Vinho: o efeito placebo funciona no geral, mas não com vinhos vagabundos | Foto: cc0 Darren Coleshill/Unsplash

Cientistas da Universidade de Bonn, na Alemanha, concluíram que vinhos caros são considerados melhores porque... são caros. Nada mais, nada menos.


Eles fizeram imagens de ressonância magnética do cérebro de 30 pessoas para colocar sua tese à prova num teste. O mesmo vinho teve graus de aprovação maiores quando foi apresentado com preços mais altos.


Este é o chamado "efeito placebo do marketing", na definição dos cientistas.


Todos os participantes da pesquisa ficaram deitados para experimentar pequenas quantidades de vinho por um tubo na boca, sempre depois de ver os preços da bebida, enquanto seus cérebros eram escaneados.


Os vinhos testados eram tintos de qualidade média a boa, com preço de varejo de 12 euros. Na hora de escanear os cérebros, as etiquetas mostradas variavam entre 3,6 e 18 euros.


"Como era esperado, as pessoas disseram que os vinhos apresentados com o preço mais alto tinham sabor melhor do que o mais barato", afirma o professor Hilke Plassmann, da Escola de Negócios INSEAD, da França, um dos supervisores do estudo, num comunicado da Universidade de Bonn.


Detalhe: os vinhos eram sempre idênticos - só mudavam as etiquetas de preços.


O poder dos preços não é absoluto, no entanto, advertiram os cientistas. "O efeito placebo do marketing tem seu limite", observou Bernd Weber, diretor do Centro de Economia e Neurociência da Universidade de Bonn e um dos autores do estudo.


"Se, por exemplo, um vinho de muito baixa qualidade é oferecido por 100 euros, esse efeito não se manifesta".


A experiência foi feita no Centro da Vida e do Cérebro da Universidade de Bonn. O estudo foi publicado ontem no jornal Scientific Reports.


As análises mostraram que todas as áreas do córtex pré-frontal medial, onde são tomadas as decisões, e do estriado ventral do cérebro, onde fica o sistema de recompensa e motivação, eram mais ativadas quando os preços eram mais altos.


"O sistema de recompensa e motivação é ativado de forma mais significativa com preços mais altos e aparentemente aumenta a experiência do sabor dessa maneira", descreve Weber.

"Em última instância, o sistema de recompensa e motivação prega uma peça em nós", afirmou Liane Schmidt, do INSEAD, outra autora do estudo.


Única maneira de fugir dessa pegadinha do cérebro: cada um aperfeiçoar seu conhecimento de vinhos.


#Marketing #UniversidadedeBonn #Vinho