• Sandra Carvalho

Estresse crônico, além de tudo, engorda. Está provado

Se há mais cortisol, o hormônio do estresse, as cinturas ficam mais largas.



Os estressados agora têm mais um motivo para se estressar. Quem vive em estresse crônico tem muito mais chances de acabar a vida obeso que o pessoal mais zen.


Uma equipe liderada por Sarah E. Jackson, epidemiologista da University College London (UCL), mediu o hormônio do estresse, o cortisol, no cabelo de mais de 2.500 pessoas de mais de 54 anos de idade no Reino Unido.


Seu estudo, publicado em Obesity em fevereiro, mostrou que mais cortisol significa mais peso e cinturas mais largas.


É que o cortisol estimula a acumulação de depósitos de gordura visceral na região do abdômen.


As medidas consideradas excessivas: cintura de mais de 102 centímetros em homens e de mais de 88 centímetros em mulheres.


O peso considerado excessivo: um índice de massa corporal (IMC em português e BMI em inglês) superior a 30 para obesidade e entre 25 e 29,9 para sobrepeso.


O cortisol também influencia o tipo e a quantidade de comida que os estressados consomem, constatou a equipe de Sarah E. Jackson. Há uma inclinação por alimentos mais calóricos e ânsia por comfort food.


No estudo, as pessoas de peso considerado normal mostraram em média uma concentração de cortisol de 0,862 no cabelo. As com sobrepeso, 0,904. As obesas, 0,983.