• Sandra Carvalho

Suecos conseguem detectar resistência de bactérias a antibióticos em 10 minutos

O teste foi criado para infecções que atingem 100 milhões de mulheres por ano no mundo.


Bactérias: chip examina amostras de urina | Imagem: cc0 Gerd Altmann/Pixabay

É um marco na batalha médica contra a resistência aos antibióticos, uma das maiores ameaças à saúde humana em qualquer parte do mundo.


Pesquisadores da Universidade de Uppsala (UU) conseguiram criar um método ultrarrápido de detectar se as bactérias resistem ou não a este ou aquele antibiótico, o fASTest.


Isso vai permitir no futuro que as pessoas saiam das consultas médicas com o antibiótico certo receitado - em vez de embarcar muitas vezes em tentativa e erro, como acontece hoje, porque os testes demoram demais.


Os detalhes do teste foram divulgados pelo jornal PNAS, da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.


O teste sueco foi criado para infeções do trato urinário, que atingem cerca de 100 milhões de mulheres no mundo por ano.


Na Suécia, essas infecções respondem por 25% do uso de antibióticos. Quando elas ocorrem, a resistência a antibióticos é um problema sério, afirma o estudo.


O método usa um chip microfluídico de plástico para examinar amostras de urina. A análise da bactéria é realizada em nível de célula única. Observa-se se a bactéria cresce na presença de antibióticos, sendo então resistente, ou não, indicando susceptibilidade ao remédio.


Num teste de Escherichia coli, bactéria responsável por uma boa parte das infeções urinárias, a resistência ou susceptibilidade ao antibiótico ciprofloxacina foi identificada em 100% dos casos em menos de 10 minutos. Do carregamento da amostra ao diagnóstico escrito, foram menos de 30 minutos.


Depois de ter sido criado na universidade, o teste está sendo finalizado numa empresa sueca, a Astrego Diagnostics. A previsão é que esteja no mercado, pronto para uso, em alguns anos.


"A esperança é que, no futuro, o método possa ser usado em hospitais e centros de saúde para prover o tratamento correto e reduzir o uso desnecessário de antibióticos", afirmou Dan Andersson, um dos pesquisadores, num comunicado da Universidade de Uppsala.


"Acreditamos que o método é usável para outros tipos de infeção, como as do sangue, onde a escolha correta e imediata do antibiótico é crítica ao paciente."



#Antibióticos #Bactérias #Suécia #UU