• Sandra Carvalho

Suicídios aumentam com tempestades e inundações

Os grandes desastres naturais impactam fortemente a vida emocional das pessoas atingidas.


Suicídio: diferença entre os impacto das inundações e furações | Foto: cc0 Tumisu/Pixabay

Os furações, grandes tempestades, inundações e tornados provocam mais do que destruição física - criam problemas emocionais graves para as pessoas que sofrem seu impacto direto. Os suicídios aumentam notadamente depois que eles acontecem.


Cientistas da Universidade de Delaware estudaram o impacto de 218 desastres naturais nas taxas de suicídio durante 12 anos, de 2003 a 2015, nos Estados Unidos. Elas subiram 23% nos dois anos seguintes aos desastres, numa comparação com as taxas anteriores e posteriores a esses dois anos.


"Essas mortes podem ser evitadas com uma melhor preparação e resposta a desastres" comentou a epidemiologista Jennifer Horney da Universidade de Delaware, uma das autoras do estudo sobre suicídio.


"As pessoas com mais vulnerabilidade social vivem em áreas com maior risco de serem arruinadas por desastres", completou.


No caso das inundações, os pesquisadores constataram que as taxas de suicídio subiram quase 18% no primeiro ano e 61% no segundo, para em seguida voltarem aos padrões regulares.


Já no caso dos furações, as taxas de suicídio cresceram 26% no primeiro ano, para voltarem aos padrões regulares já no ano seguinte.


O estudo foi publicado no jornal científico Crisis.


Veja mais: A geografia improvável do suicídio


#UD #DesastresNaturais #Furações #Inundações