• Sandra Carvalho

Tá uma festa danada na Floresta do Jamanxim, no Pará

Criminosos desmataram área correspondente a 30 mil campos de futebol.


A floresta em seu esplendor, numa área livre do desmatamento ilegal | Foto: cc Ibama

A Floresta Nacional do Jamanxin, da cidade de Novo Progresso, na Amazônia, Pará, tem mais de 1,3 milhão de hectares, cobiçados por fazendeiros, garimpeiros e madeireiros ilegais.


Segundo a Polícia Federal, criminosos desmataram 30 mil hectares da floresta, equivalente a 30 mil campos de futebol. Mais da metade fica dentro da unidade de conservação de Jamanxim.


De acordo com as investigações da #PF, a floresta já perdeu 160 mil hectares de vegetação no total. O desmatamento atual é o pior de todos: o chamado corte raso, que não deixa nada em pé.


As árvores que têm madeira com valor comercial são retiradas em primeiro lugar, e depois toda a vegetação é eliminada, inclusive com uso de fogo, para deixar a terra livre para plantações ou pastos de criação de gado.


É um esquema movido por quem tem dinheiro - os bens dos suspeitos desse crime ambiental já bloqueados pela PF chegam a 310 milhões de reais. Eles são do próprio estado do Pará, Mato Grosso e Santa Catarina. A ideia é usar esses bens para reparar os danos à floresta.


Veja mais: