• Sandra Carvalho

Tchau, mirtilo. A Mata Atlântica tem 4 frutas igualmente poderosas

Olhe os nomes: grumixama, ubajaí, araçá-piranga e cereja-do-rio-grande.


Grumixameira, nativa da Mata Atlântica | Foto: cc B.Naves/Wikimedia Commons

As 4 super frutas da Mata Atlântica são ilustres desconhecidas. Quem já ouviu falar em grumixama, ubajaí, araçá-piranga e cereja-do-rio-grande?


Mas, além de serem nutritivas, elas são antioxidantes e agem contra inflamações.


Quem atesta as qualidades que essas 4 frutas têm são os pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), Universidade de São Paulo (USP) Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade de La Frontera, no Chile.


Eles pretendem que essas frutas sejam cultivadas e desembarquem nas prateleiras dos supermercados, seguindo os passos do açaí, que saiu da Floresta Amazônica para ganhar o país e o mercado global.


O estudo sobre as frutas da Mata Atlântica foi publicado pela PLOS ONE.


As 4 frutas aprovadas pelas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias são do gênero Eugenia: E. brasiliensis (grumixama), E. myrcianthes (ubajaí), E. leitonii (araçá-piranga) e E. involucrata (cereja-do-rio-grande).


Veja como elas são nas fotos dos cientistas:


Fotos: Juliana Infante, Pedro Luiz Rosalen, Josy Goldoni Lazarini, Marcelo Franchin e Severino Matias de Alencar

Um resumo mais detalhado da pesquisa, feito pela jornalista Maria Fernanda Ziegler, foi publicado pela Agência Fapesp.


#Alimentos #AntiInflamatórios #Esalq #Frutas #MataAtlântica #Plantas #Unicamp #USP