• Sandra Carvalho

Teste alemão mostra todo o poder da máscara PFF2

A PFF2 é superior aos outros tipos de máscara, garantem os pesquisadores.


Moças com máscaras
Máscaras: imprescindíveis para evitar a transmissão da Covid | Foto: cc0 Wendy Wei/Pexels

Pesquisadores alemães do Instituto Max Planck (#MPG) em Göttingen compararam os mais diversos tipos de máscaras contra Covid e concluíram que nenhum chega perto da PFF2, a mais eficiente de todas para barrar o vírus SARS-CoV-2.


Os pesquisadores afirmam que duas pessoas que conversam a três metros de distância sem máscaras correm um risco de 90% de se contaminar em apenas poucos minutos, se uma delas estiver com Covid-19.


Eles também dizem que se uma pessoa saudável estiver com uma máscara cirúrgica, conversando com alguém contaminado a 1,5 metro de distância, o risco só vai a 90% depois de meia hora.


Já se essa pessoa saudável estiver com uma máscara PFF2, asseguram, o risco não passa de 20% mesmo depois de uma hora. Se a pessoa doente também estiver com uma PFF2, o risco desaba para 0,4%.


Segundo os testes, máscaras PFF2 bem ajustadas garantem proteção 75 vezes melhor que máscaras cirúrgicas bem ajustadas, de acordo com comunicado do Instituto Max Planck.


"Usar as máscaras apropriadas provê proteção excelente para os outros e para a própria pessoa, e torna o distanciamento social menos importante", os pesquisadores escreveram.


Os testes que os cientistas fizeram, publicados em 7 de dezembro no jornal científico PNAS, foram anteriores à disparada da variante ômicron.


Os resultados se aplicam plenamente até a variante delta, mas talvez seja bom dar um desconto com a ômicron, que é muito mais contagiosa. ✔︎


Veja mais: Brasil dá vexame em ranking de testes de Covid (131º lugar)