• Sandra Carvalho

Thomas Starzl, pai do transplante de fígado (1926-2017)

Ele descreveu os transplantes pioneiros com testes de resistência e brutalidade.



Thomas Starzl, que fez o primeiro transplante de fígado do mundo, morreu em 4 de março, em Pittsburgh, onde morava, aos 90 anos de idade.


Starzl fez o primeiro transplante de fígado em 1963. As primeiras cirurgias foram desafiadoras. Os pacientes morreram de complicações do uso de agentes de coagulação no sangue, que causaram coágulos nos pulmões, segundo narra o New York Times.


Quatro anos mais tarde, Starzl realizou o primeiro transplante bem-sucedido do órgão.

Ele descreveu os transplantes pioneiros como testes de resistência e exercícios de brutalidade.


Starzl realizou os transplantes históricos na Universidade do Colorado (CU), em Denver. Mas fez diferença também na Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh (Pitt), onde desenvolveu técnicas de transplante de múltiplos órgãos.


Sua importância não fica nos transplantes em si. Foi pioneiro também em pesquisas de drogas contra a rejeição de transplantes, como a ciclosporina, essenciais para tirar os implantes do estágio experimental para o das práticas amplamente aceitas.


"É verdade que cirurgiões de transplantes salvam pacientes, mas em troca os pacientes nos resgatam e dão significado ao que fazemos", Starzl definiu, segundo o Guardian.


Starzl também experimentou com transplantes de fígados de babuínos em humanos, mas nessa vertente não teve sucesso.