• Sandra Carvalho

Todo mundo erra. Mas quem medita pode reconhecer os erros na hora

Cientistas dizem que a consciência dos erros já aumenta com 20 minutos de atenção plena.


Königssee, Alemanha: cenário perfeito para meditação | Foto: cc0 Simon Migaj/Unsplash

Psicólogos da Universidade Estadual de Michigan (MSU) mediram o impacto da meditação no cérebro de 200 pessoas. Sua conclusão: a atenção plena ajuda a reconhecer erros quase imediatamente.

Eles aplicaram eletroencefalogramas (EEG) para acompanhar todas as atividades cerebrais de pessoas que tinham passado por 20 minutos de meditação. Elas nunca haviam meditado antes.


Depois de meditar, as pessoas fizeram um teste de computador. Cometendo um erro, foram capazes de reconhecer o equívoco meio segundo depois. Essa consciência quase imediata do erro não aconteceu com pessoas que não havia meditado.


Os psicólogos testaram um tipo específico de meditação, chamado de monitoramento aberto, ao qual pertence a atenção plena (mindfulness, em inglês).


É o tipo de meditação que, em vez de focar numa única coisa, como a respiração, presta atenção em tudo o que acontece no corpo e na mente - sentimentos, pensamentos e sensações.


Se a meditação é capaz de ajudar a evitar os erros, em vez de apenas colaborar para sua consciência imediata, fica para um próximo estudo. No caso de Michigan, os 20 minutos de atenção plena não foram capazes de melhorar a performance dos participantes do teste.


#Cérebro #EEG #Erros #Meditação #MSU #Neurociência #Psicologia