• Sandra Carvalho

Tomou Tylenol? Cuidado para não se arriscar demais

Um estudo americano diz que o paracetamol estimula as pessoas a correr mais risco.


Risco: com paracetamol, a avaliação é outra | Foto: cc0 Ricardo Arce/Unsplash

O Tylenol resolve muita dor de cabeça, mas pode criar outras. É o que se deduz de um novo estudo da Universidade Estadual de Ohio (Ohio State).


O estudo afirma que o paracetamol, principal ingrediente do Tylenol e de aproximadamente 600 outros remédios, predispõe as pessoas a tomarem mais riscos do que normalmente fariam.


O paracetamol, também conhecido como acetominofeno, funciona como analgésico e antipirético, e é um dos medicamentos mais populares do mundo.


De acordo com os cientistas de Ohio, trata-se de uma droga com efeitos psicológicos que precisam ser considerados.


O estudo foi publicado no jornal Social Cognitive and Affective Neuroscience.


Os cientistas compararam o comportamento de pessoas que haviam tomado a droga com o de outras pessoas que tinham recebido placebo.


Quem tomou paracetamol achou que praticar bungee jumping de uma ponte alta ou falar sem filtro de um assunto delicado numa reunião de trabalho eram coisas muito menos arriscadas do que pensava a turma do placebo.


"O acetaminofenol parece fazer que as pessoas sintam menos emoções negativas quando consideram atos arriscados" comentou o professor Baldwin Way, um dos autores do estudo, da Ohio State. "Elas simplesmente não se sentem amedrontadas."


Num teste de laboratório, as pessoas sob efeito do paracetamol se sentiram tão seguras em inflar um balão virtual em troca de recompensas num computador que às vezes fizeram o balão estourar com seus exageros.


Estudos anteriores do próprio Way tinham mostrado que o paracetamol diminuía emoções positivas e negativas, aplacando sensações de angústia e sofrimento e de sentimentos feridos.


Veja mais: 8 coisas sobre Stewart Adams, inventor do ibuprofeno