• Sandra Carvalho

Trânsito mais lento salva vidas, mostra São Paulo

Estudo da Universidade de Illinois indica queda de 21,7% dos acidentes.


São Paulo: trânsito 5,5% mais lento, mas 104 mortes a menos | Foto: cc0 Ichio/Unsplash

Diminuir a velocidade dos carros nas grandes cidades para diminuir acidentes e salvar vidas compensa?


Cientistas da Universidade de Illinois (IU) e da Universidade Católica de Brasília (UCB) avaliaram uma quantidade massiva de dados do trânsito da cidade de São Paulo antes, durante e depois de um programa de redução de velocidade do trânsito da Prefeitura e concluíram que sim.


Segundo a pesquisa, o programa reduziu 21,7% dos acidentes em 18 meses. Seus benefícios sociais foram pelo menos 1,32 maiores que os seus custos sociais, protegendo principalmente pedestres de baixa renda e motociclistas.


O estudo foi publicado no Journal of Public Economics.


São Paulo diminuiu a velocidade nas marginais de 90 para 70 km/h nas pistas expressas e de 60 para 50 km/h nas pistas locais em 2015, durante a gestão de Fernando Haddad (PT). A medida acendeu uma polêmica que consumiu a cidade por anos.


Em 2016, nas eleições municipais, a promessa de um basta nessas restrições ajudou a eleger um prefeito do PSDB, João Dória, atual governador paulista. As restrições foram canceladas.


Os cientistas avaliaram dados de 125 mil acidentes de trânsito e 38 milhões de multas determinadas pelas câmeras de monitoramento do trânsito durante a pesquisa.


Sua conclusão é que as velocidades menores evitaram 104 mortes e 1.889 acidentes acidentes em 18 meses. Eles calcularam que 86% dos benefícios envolveram moradores de baixa renda da cidade.


Segundo o estudo, a redução de velocidade não tornou o trânsito muito mais lento do que já era. O tempo de locomoção das pessoas aumentou apenas 5,5% durante o programa.


Para medir o tempo de locomoção, os cientistas usaram uma API do Google Directions. Estudando 1,4 milhão de observações de 2017, eles chegaram ao percentual de 5,5%.


Veja mais: A primeira cadeirinha de bebê não se esquece


#AcidentesdeCarro #Google #IU #Mortes #MortesnoTrânsito #SãoPaulo #Trânsito #Transportes #UCB