• Sandra Carvalho

Tuatara, o último réptil do tempo dos dinossauros

O genoma do animal mostra que ele não tem mais nenhum parente próximo no mundo.


Tuatara: genoma 50% maior do que o de humanos | Foto: cc0 Bernard Spragg/Flickr

Cientistas australianos e neozelandeses desvendaram o genoma da tuatara, um animal da Nova Zelândia, ameaçado de extinção, que tem 250 milhões de anos de história. A tuatara é considerada um taonga (tesouro especial) pelo povo maori.


"A tuatara é a última espécie sobrevivente de um grupo de répteis que andava pela Terra com os dinossauros", observou o professor David Adelson, da Universidade de Adelaide, na Austrália, um dos cientistas que sequenciaram o genoma da tuatara.


Há mais de 150 anos se sabe que o animal não é um lagarto, apesar de parecer com um.


O estudo do genoma foi publicado na Nature. Além dos cientistas, participaram da pesquisa os indígenas Ngātiwai, um grupo maori da Nova Zelândia, que têm a guarda das tuataras envolvidas no projeto.


O genoma revelou que a tuatara (Sphenodon punctatus) tem características de répteis e de mamíferos também. Trata-se de um genoma enorme, 50% maior que o humano.


Os ancestrais do animal são compartilhados por lagartos e cobras na árvore da vida. Cerca de 250 milhões de anos atrás, a tuatara se diferenciou e formou sua própria espécie.


Para ter uma ideia de quanto tempo atrás isso aconteceu, leve em consideração que os mamíferos se originaram 65 milhões de anos atrás e os hominídeos, 6 milhões de anos atrás.


Conhecida pelos movimentos lentos, a tuatara pode viver até 100 anos. Se alimenta geralmente de besouros, aranhas e lesmas, e ocasionalmente de lagartos, sapos e pássaros - tem poder de decapitar pássaros com seu poderoso maxilar.


Ao examinar seu genoma, os cientistas tentaram entender sua longevidade. Encontraram mais genes de proteção do corpo do que em qualquer outro animal vertebrado examinado até agora, segundo o professor Neil Gemmel, geneticista da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, e o principal autor do estudo.


Nesse vídeo de 17 segundos, você vê uma tuatara comendo num zoológico.



Veja mais: Golfinho foi um predador apavorante no passado


#Biologia #BiologiaEvolutiva #Evolução #Genoma #Répteis #UniversidadedeAdelaide #UniversidadedeOtago