• Sandra Carvalho

Tudo que Taiwan fez para deter o coronavírus (e o Brasil não)

Muitos países, como nós, jogaram fora a oportunidade de aprender com Taiwan.


Taiwan no Ano Novo Lunar: máscara virou segunda pele em epidemias | Foto: cc Office of the President

Taiwan é um caso de sucesso incontestável no combate à pandemia do novo coronavírus. Com 23 milhões de habitantes, tem apenas 363 casos da doença e somente 5 mortos até agora.


As circunstâncias não ajudaram nada: a ilha fica a apenas 81 milhas da China continental, onde o vírus emergiu e se propagou em primeiro lugar.


Mais: Taiwan tem pelo menos 404 mil cidadãos trabalhando lá, com indas e vindas frequentes entre os dois territórios. Outras 850 mil pessoas nascidas em Taiwan vivem na China continental, e também visitam rotineiramente a ilha.


Mas Taiwan soube reagir cedo, rápido e com medidas capazes de golpear a sério a Covid-19. A CNN comparou Taiwan com a Austrália, para mostrar o quanto Taiwan foi bem sucedida. Ambas têm população de tamanho semelhante e ligações próximas com a China.


No dia 25 de janeiro, Taiwan e Austrália tinham 4 casos do novo coronavírus cada uma. De lá para cá, enquanto Taiwan nem chegou a 400 casos, a Austrália se aproximou de 6 mil.


Número australiano de de mortos: 35, sete vezes o de Taiwan. Detalhe: a Austrália está longe de ser um desastre em coronavírus, como a Itália e a Espanha.


A presidente Tsai Ing-wen supervisiona a fabricação de máscaras | Fonte: cc Makoto Lin/Office of the President

Em resumo, o que Taiwan fez? E o que o Brasil, sabendo de seu sucesso, não fez, embora tenha tido tempo para estudar suas lições, já que aqui a pandemia chegou bem mais tarde?


Quase todas as ações de Taiwan listadas a seguir foram descritas por cientistas da Califórnia e de Taipei num estudo publicado pelo jornal JAMA.


Precocidade, tecnologia e testes


1 - Taiwan já começou escolada em epidemias de coronavírus, por ter sofrido o surto de SARS de 2003. Governo e população levaram a nova ameaça a sério desde janeiro, em uníssono.


2- O centro de comando de saúde pública de Taiwan (NHCC, na sigla em inglês), montado na esteira da epidemia da SARS, agiu rápido, com 124 medidas contra o novo coronavírus em cinco semanas.


3 - A China notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 31 de dezembro sobre "uma nova pneumonia". Taiwan passou imediatamente a examinar a bordo passageiros de aviões vindos de Wuhan, o marco zero da pandemia, antes de eles desembarcarem, para checar se não tinham febre ou outros sintomas de pneumonia.


4 - Taiwan a seguir bloqueou a entrada de pessoas vindas de Wuhan, banindo também viajantes de outras cidades da China continental mais atacadas pela infecção. Cruzeiros foram proibidos de atracar na ilha na mesma época.


5. Com tecnologia de ponta, Taiwan integrou os bancos de dados dos seguros de saúde com os das área de imigração e alfândega, para ter controle total da doença e gerar alertas em tempo real.


6. Com os dados, no Novo Ano Lunar já conseguiu identificar cada pessoa que tinha visitado áreas de risco nos 14 dias anteriores e determinou que se isolasse em casa. Mais: rastreou sua movimentação por celular, para que não saísse.


7 - O governo de Taiwan estimulou logo a produção local de máscaras. No final de janeiro já fabricava 4 milhões de máscaras por dia. Baniu as exportações do produto para que não faltasse para ninguém, funcionários da área da saúde e população em geral. Agora Taiwan pode se dar ao luxo de doar máscaras para os Estados Unidos e Europa.


8 - Taiwan começou imediatamente a testar as pessoas suspeitas de coronavírus, inclusive repetindo testes de casos mal explicados. O governo foi atrás de quem tinha tido problemas respiratórios recentes e testado negativo para influenza para fazer o teste da Covid-19.


9 - O tratamento das pessoas com Covid-19 sempre esteve garantido, porque Taiwan tem um sistema universal de saúde, um SUS turbinado.


Veja mais: Em coronavírus, o Brasil leva surra dos vizinhos


#Brasil #China #Coronavírus #Epidemias #Máscaras #Taiwan