• Sandra Carvalho

Um argumento irrefutável pró-vacina: 20 milhões de vidas salvas

Foram consideradas vacinas contra hepatite B, sarampo, encefalite japonesa, febre amarela...


Vacinas: 500 milhões de casos de doenças evitados | Foto: Gavi

Discussões sobre vacinas nem sempre são racionais, mas sempre podem ser iluminadas por fatos. Pesquisadores da da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill acabam de fazer isso, com um levantamento exaustivo sobre os efeitos reais das vacinas nas vidas das pessoas.


Os números que eles levantaram indicam que 20 milhões de vidas foram salvas de 2001 para cá nos países em desenvolvimento graças a esforços de vacinação.


O estudo, liderado por Sachiko Ozawa, da Escola de Farmácia da UNC, analisou o impacto econômico da Gavi, a aliança global para fornecer vacina para crianças nos países mais pobres.


Os resultados foram publicados no Bulletin of The World Health Organization e divulgados

pelo serviço de notícias da Universidade de Carolina do Norte em Chapel Hill no dia 1º.


A Gavi ajudou a vacinar 580 milhões de crianças em 73 países contra 10 doenças. As vacinas foram contra hepatite B, vírus do papiloma humano, encefalite japonesa, sarampo, rotavírus, rubéola, febre amarela e três estirpes de bactéria causadoras de pneumonia e meningite.


Segundo o estudo da UNC, as vacinas preveniram 20 milhões de mortes, 500 milhões de casos de doenças e 9 milhões de casos de incapacitação de longo prazo, considerando o período de 2001 a 2020.


Do valor da qualidade de vida à produtividade preservada e outros benefícios sociais e econômicos, os 73 países economizaram 820 bilhões de dólares, segundo a pesquisa.


#Doenças #Vacinas #UNCChapelHill