• Sandra Carvalho

Um dinossauro, o oceano e um mistério de milhões de anos

Fóssil de um dinossauro-bico-de-pato foi achado na África. Como ele chegou lá?


Dinossauros-bico-de-pato
Dinossauros-bico-de-pato: origem na Ámérica do Norte | Ilustração: Raul Martin/Universidade de Bath

Os dinossauros-bico-de-pato, um dos mais simpáticos animais pré-históricos, conhecidos também como hadrossauros, surgiu na América do Norte e se espalhou de lá para a América do Sul, a Ásia e a Europa no período Cretáceo. Herbívoros, exibiam longas caudas e pernas poderosas.


Até agora, se pensava que eles nunca poderiam ter chegado até a África, isolada pelas águas profundas do oceano naquela época. Simplesmente não haveria como chegar andando até o continente africano.


Mas, contrariando as expectativas, o dinossauro-bico-de-pato chegou lá, cruzando o oceano. Fósseis do animal foram encontrados em rochas no Marrocos, datados do fim do período Cretáceo, 66 milhões de anos atrás.


"Foi como encontrar um canguru na Escócia", comparou Nicholas Longrich, da Universidade de Bath, que liderou o estudo sobre o fóssil.


Ao examinar o fóssil, os cientistas se viram diante de uma nova espécie de hadrossauro, que batizaram de Ajnabia odysseus.


Ajnabia signfica estrangeiro em árabe e odysseus é uma homenagem a Ulisses, o herói da mitologia grega Odisseu, e suas aventuras nos mares.


Ao contrário de outros dinossauros-bico-de-pato, que chegavam a até 15 metros de comprimento, o Ajnabia tinha apenas três metros, com tamanho comparável a um pônei atual.


Os dentes e a mandíbula do animal indicaram que se tratava da subfamília dos lambeossauros, com as características cristas ósseas na cabeça.


Os pesquisadores sugerem que o Ajnabia chegou à África apoiado em escombros, flutuando ou nadando. Os dinossauros-bico-de-pato levam fama de bons nadadores, e seus vestígios costumam ser encontrados em depósitos de rios e rochas marinhas.


Travessias oceânicas de animais são eventos raros, mas acontecem. Segundo os pesquisadores, são elas que explicam, por exemplo, como lêmures e hipopótamos chegaram a Madagascar e como macacos e roedores cruzaram da África para a América do Sul.


O estudo sobre o Ajnabia foi publicado no jornal científico Cretaceous Research.


Veja mais: Viu o Ambopteryx, dinossauro que lutava para voar?