• Sandra Carvalho

Um Reino Unido inteiro de gelo desapareceu em 23 anos

A perda de gelo em todo o planeta atingiu 28 trilhões de toneladas de 1994 a 2017.


Antártica: as plataformas de gelo flutuantes perderam 6,5 trilhões de toneladas | Foto: cc0 Danielle Barnes /Unsplash

Cientistas britânicos calcularam a perda de gelo em todo o mundo de 1994 a 2017, usando dados de satélite. O resultado, dizem eles, é chocante: 28 trilhões de toneladas.


O que isso significa? Que a perda é tão monumental que equivale a uma camada de gelo de 100 metros de altura cobrindo todo o território do Reino Unido.


Os pesquisadores alertaram que esse degelo pode fazer o nível dos oceanos subir demais, e possivelmente se elevar três metros até o final do século, com consequências trágicas para as pessoas que vivem no litoral.


O estudo, feito por pesquisadores das universidades de Leeds, Edimburgo e College London (UCL), foi publicado no jornal The Cryosphere Discussions. Atribui a vasta maioria da perda de gelo ao aquecimento do clima.


"Cada centímetro de aumento do nível do ar expulsa cerca de 1 milhão de pessoas de suas casas em regiões mais baixas", comentou, para o Guardian, Andy Shepherd, da Universidade de Leeds.


O derretimento do gelo na Groenlândia e na Antártica tem sido bastante estudado, mas é a primeira vez que uma pesquisa coleta dados do mundo todo. Os resultados confirmam as previsões mais pessimistas do IPCC, o painel da ONU para a mudança de clima.



Veja mais: Geleiras da Groenlândia já parecem irrecuperáveis


#Antártica #AquecimentoGlobal #Ártico #Geleiras #Gelo #Groenlândia #IPCC #MudançadeClima #Satélites #UCL #UniversidadedeEdimburgo #UniversidadedeLeeds