• Sandra Carvalho

Com uma Terra só, não dá para consumir tanto assim

O planeta está sendo devastado num ritmo em que não consegue se regenerar.


Se todo mundo vivesse como americanos, seriam necessárias 5 Terras   |  Imagem: cc0 Pete Linforth/Pixabay

Hoje, 29 de julho, é o Dia da Sobrecarga da Terra: o dia em acabaram os recursos naturais que o planeta é capaz de renovar em 2019. Daqui para frente, até 31 de dezembro, estaremos dilapidando ecossistemas que não vão se regenerar.

A data é móvel: depende de quanto se consome dos recursos naturais da Terra em cada ano. Quem faz as contas da pegada ecológica para o mundo e para cada país é a Global Footprint Network.


29 de julho marca o esgotamento dos recursos renováveis em escala global. Até o final do ano, o planeta deve consumir 1,75 a mais do que deveria.

Se todo mundo consumisse como os americanos, seria pior ainda: seriam necessárias 5 Terras. Se seguisse o padrão brasileiro, 1,7 Terra.

Se a referência para o mundo fosse a Índia, sobrariam ecossistemas saudáveis: o país gasta o equivalente a 0,9 dos recursos que se pode renovar no ano. A pobreza de boa parte da população indiana seguramente tem a ver com esse número.

No geral, países mais ricos gastam muito mais do que deveriam. Os cinco piores hábitos são os do Catar, Luxemburgo, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Estados Unidos, pela ordem.


Como são países com populações pequenas, com exceção dos Estados Unidos, os estragos acabam ficando limitados em termos absolutos.

Na lista dos países que têm as pegadas ecológicas mais impactantes acabam sobressaindo os países com as maiores economias, como Estados Unidos, Alemanha, Japão e China. Veja o gráfico:

#Brasil #Consumismo #EUA #GlobalFootprintNetwork #Terra