• Sandra Carvalho

Vai viajar com medo do coronavírus? Proteja-se!

As medidas mais prosaicas ajudam a manter a doença à distância.


Atrás de doentes na província de Qinghai, na China | Foto: cc Governo da China/Fotos Públicas

A epidemia de coronavírus já matou 213 pessoas na China e infectou 9776 ao redor do mundo, criando um problemão para quem tem que viajar para a Ásia.


Convenhamos: quem não tem receio de viajar para epicentro da epidemia, isto é, para a China, hoje em dia? Ou para os outros países asiáticos mais afetados pelo coronavírus?


A medida mais prudente é evitar viagens para as cidades mais atingidas pela epidemia - que tal resolver tudo por teleconferência, no caso de viagens de trabalho, ou cancelar aquelas reservas, no caso de turismo?


Quem tem mesmo de viajar deve levar a sério as dicas de segurança dadas pelos especialistas. O risco é sério.


Desde que o vírus surgiu em na cidade chinesa de Wuhan, no mês passado, as pessoas infectadas dobraram a cada 7,4 dias, segundo estudo de cientistas chineses publicado no New England Journal of Medicine.


O período de incubação do coronavírus de Wuhan vai de 2 a 10 dias, segundo as estimativas da Organização Mundial da Saúde, a OMS. Nesse prazo, até as pessoas que não parecem doentes podem transmitir o vírus.


De acordo com a OMS, o risco é muito alto para a China e alto para a região e até para o mundo. Cada pessoa infectada passa o coronavírus em média para 2,2 pessoas.


Veja mais: O abc do coronavírus

11 coisas que a China já fez para deter o coronavírus de Wuhan

Quais países estão prontos para epidemias como a de coronavírus?


O ideal seria tomar uma vacina contra o coronavírus de Wuhan antes de viajar, é claro. Mas por enquanto não há vacina, e muito provavelmente não vai haver nas próximas semanas.


Cientistas chineses e americanos correm o contra o tempo para tentativa de desenvolver uma a tempo, mas uma vacina terá de ser testada em animais e depois em humanos, e isso leva tempo. Nos laboratórios, a previsão mais otimista é de uma espera de 40 dias.


Como, então, se prevenir numa viagem? As medidas são bem básicas. O governo de Cingapura, um dos países que tem mais contato com a China, aconselha em viagens:


1. Evitar contato com animais vivos, inclusive galinhas e pássaros.


2. Evitar o consumo de carnes cruas ou mal cozidas.


3. Evitar lugares com muita gente.


4. Evitar contato com pessoas que parecem doentes.


5 - Lavar as mãos com água e sabão frequentemente.


6. Usar máscara em caso de febre, tosse ou nariz escorrendo. Esta é uma providência que evita a contaminação de terceiros.


7. Procurar ajuda médica imediatamente em caso de mal-estar.


O governo de Cingapura não aconselha o uso de máscaras por todo mundo como medida preventiva contra o novo coronavírus, talvez influenciado pelo fato de que as máscaras estão em falta em muitos lugares da Ásia por terem sido adotadas em massa pelas populações da China e dos países mais ameaçados.


As máscaras adiantam? Máscaras são usadas em hospitais desde o século 18, e pelo público em geral desde os anos 20 do século passado. Elas se popularizaram durante a epidemia de gripe espanhola, que matou mais de 50 milhões de pessoas no mundo inteiro.


Aparentemente, as máscaras não protegem muito as pessoas da transmissão de vírus pelo ar, a forma mais comum de transmissão.


Mas podem ajudar a evitar a transmissão pelas gotículas de espirros e tosses das pessoas infectadas. Também podem impedir que se toque a boca com a mão a toda hora, o que é outra forma de transmissão rotineira de doenças.


Seja como for, a máscara precisa ser bem ajustada ao rosto e trocada frequentemente para funcionar.


Epidemiologistas divergem em boa parte do mundo se as máscaras devem ser usadas por todo mundo como prevenção.


Enquanto Cingapura diz que não, os governos da Malásia, Tailândia e Vietnã dizem que sim.


A virologista Angela Rassmussen, da Universidade Colúmbia, de Nova York, afirma que as máscaras devem ser usadas quando se está no meio de uma multidão ou tomando conta de uma pessoa doente.


Na China, o epidemiologista-chefe do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Zunyou Wu, aconselhou o uso de máscaras em transportes públicos.


Enfim, pelo sim ou pelo mão, talvez seja melhor viajar com uma boa reserva de máscaras na mala.


#China #Cingapura #Coronavírus #Doenças #Epidemias #Vacinas #Viagens #Vírus